Jovens Mostram o Caminho.

8 de setembro de 2018

Os jovens foram à luta e, no primeiro semestre do ano, 800 mil MEIs – Micro Empresas individuais – foram lançadas por empreendedores, dos quais perto de 20 por cento não têm conta bancária.

Os dados são da Serasa Experian e revelam a percepção de mudança da cara do emprego no Brasil.

O País deixou de lado investimentos em educação capazes de empregar mão de obra qualificada e cada um procura usar a criatividade para ganhar a vida.

A crise econômica, associada à mecanização das atividades industriais, se reflete no mercado de trabalho e reduz a oferta de vagas.

Assim como a agroindústria brasileira acelerou o crescimento com crédito bancário e assistência tecnológica, os micro empresários individuais podem ter à disposição a mesma receita, até a partir do BNDES, com juros subsidiados.

O financiamento individual soma volumes pequenos de dinheiro e serve mais para a sobrevivência dos jovens empreendedores, aplicados no próprio talento à criação de aplicativos.

Mais: espaços coletivos devem ser criados nas cidades para organizar um ambiente favorável à concentração no trabalho, ao convívio com os outros voltados para a mesma preocupação, à troca de informações e até à formação de sociedades que impulsionem os novos negócios.

A criatividade do povo brasileiro é reconhecida pelo mundo e se os governos lhe derem condições mínimas, os resultados serão ligeiros e surpreendentes.

A cura da falta de mercado de trabalho surgirá da livre iniciativa, em prazo mais acelerado do que se imagina.

Há anos, referindo-se ao desemprego nos Estados Unidos, Barack Obama resumiu a solução em uma frase: “-Eu acredito na livre empresa”.

Eu também.