Evangélicos e o Estado Laico

20 de agosto de 2018

Meu principal compromisso de campanha domingo se deu em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde os pastores Márcio, candidato a Deputado Federal (1820), e Laércio, candidato a Deputado Estadual (18020), reuniram centenas de militantes.

A pregação foi essencialmente política e reuniu católicos – a começar por mim-, evangélicos, pais de santo e ateus, em exercício real do estado laico, onde todos são livres para ter ou não ter uma religião.

Essa é a essência da boa prática imposta pela Constituição de 1891, a primeira Republicana, com a qual o Brasil deixou de ter uma religião oficial.

As pessoas de fé verdadeira se horrorizam com a manipulação religiosa para se obter votos.

Assim como no direito civil, o princípio da boa fé deve reger as disputas eleitorais. Quem se propõe a fazer leis não pode começar por desrespeitá-las.

O ato em Caxias durou duas horas e edito abaixo um curto resumo do que se passou.