A Internet Pertence à Humanidade

7 de agosto de 2014

Perguntaram ao Bill Gates qual seria o futuro da Internet e ele respondeu com ênfase: NÃO SEI.

Eu também não sei, mas sei que a Internet pertence à Humanidade, que deve haver neutralidade de rede e a banda larga deve ser considerada direito do cidadão, como já acontece em alguns países. A França foi pioneira nessa iniciativa.

Durante muitos anos lutei contra uma lei da Internet, mesmo como Ministro das Comunicações. Com o tempo, acabaram por aprová-la. O texto foi amenizado, mas insisto que os governos tentam, mundo afora, criar leis para domar a Internet. Sem êxito. O Brasil largou na frente e o perigo de uma lei inofensiva está na quebra de princípio. Depois de uma lei outra virá.

Daí a Internet ter que ser livre, sem leis a regulamentar seu uso.

Para os crimes já existem leis, sejam eles praticados ou não via Rede Mundial.

Agora, adiaram para depois das eleições a regulamentação da lei aprovada, contra o meu voto, no Congresso.
Vamos acompanhar e agir até judicialmente se, na regulamentação, tentarem alcançar objetivos de controle de conteúdo e barrar a neutralidade.